Diversos tecnologia

63% da geração z sentem sua autovalorização diminuir

Divulgação

A tecnologia é importante para muitas coisas, mas tem os seus contras. Em uma pesquisa realizada pela Getty Images, em parceria com a YouGov, quatro em cada dez pessoas da América do Sul acreditam que já tiveram algum relacionamento afetado pela meio. Além disso, 47% desses entrevistados sentem que suas vidas são bem menos interessantes que de outras pessoas, em sua maioria os jovens.

Sobre os Baby Boomers – nascidos entre 1946 – 1964 – 30% responderam que sentem a autovalorização da própria vida diminuir em comparação com a de terceiros ao usar mídias sociais. Os dados aumentam para 40% na Geração X – 1961 – 1981 -, 55% nos Millennials – 1981 – 1996 – e 63% na Geração Z – 1997 – 2012.

Isso gera atenção do crescimento de tempo gasto nas redes. Dos entrevistados 35% dizem utilizar dispositivos de tecnologia para se lembrar de desconectar e diminuir o tempo de utilização.

Apesar dos contras, o lado positivo também foi abordado. Segundo a pesquisa, 91% dos entrevistados na América do Sul acham que ter um celular ajuda a ficar conectado com o que acontece no mundo.

Ainda na região, 86% acreditam que a realidade virtual abre portas para experiências que não seriam possíveis de outra forma, enquanto 86% disseram que a tecnologia ajuda a se conectar a pessoas com quem se importam.

Os dados foram obtidos em pesquisa realizada com mais de 10 mil consumidores e profissionais, sendo 1.555 da América do Sul. Os temas abordados foram tecnologia, sustentabilidade e bem-estar.

Inteligencia artificial e segurança

Dados do Visual GPS mostram que os sul-americanos são menos preocupados em relação à inteligência artificial. Apenas 28% ficam nervosos com o tema. Já na Ásia e Pacífico, são 39%, enquanto o número cresce para 42% na Europa e para 54% na América do Norte.

A região também é a que menos se preocupa com uma potencial grande falha de segurança que cause exposição de dados ou cyber-ataque no País. São 63% contra 68% na Europa, 73% na Ásia e Pacífico e 76% na América do Norte.

Na América do Sul, porém, 95% acreditam que as empresas têm de provar que estão comprometidas com a proteção da privacidade e dados do usuário. O numero é maior que o registrado na Europa, com 85%, Ásia e Pacífico, com 88%, e América do Norte, com 89%.

Sustentabilidade

Os dados revelam que a preocupação dos habitantes da América Latina em relação ao meio-ambiente são maiores que os de outras regiões do planeta. De acordo com o relatório, 97% dos sul-americanos acreditam que o jeito que o planeta é tratado hoje terá grandes impactos no futuro. O número é o maior das quatro regiões pesquisadas, sendo que a América do Norte, com 88%, tem os menores.

As regiões mantêm a relação de maior e menor porcentagem em preocupação com os oceanos, 93% contra 84%, e preocupação com a poluição do ar, 94% contra 77%. Na preocupação com a qualidade da água, a América do Sul também lidera, com 95%. A Europa registra 69%, o menor número.

Em ações sustentáveis, a América do Sul tem o maior número de pessoas que dizem tentar reduzir a utilização de plásticos, 86%. A região fica em segundo em pessoas que buscam sempre reciclar, com 75% frente os 81% da Europa, e que visam reduzir a sua emissão de carbono, com 68% contra os 72% da Ásia e Pacífico.

Ainda na região, 58% disseram que só compram produtos de marcas que se esforçam para ser mais sustentáveis, enquanto 49% admitem que deveriam ligar mais para o meio-ambiente, mas colocam a conveniência própria em primeiro lugar.

Bem-estar

Nas perguntas relacionadas ao bem-estar, a pesquisa aponta que os sul-americanos mostram foco em cuidar de si próprios mentalmente e procurar maneiras de celebrar os bons acontecimentos da vida. As duas categorias registraram 94%. Achar importante falar sobre saúde mental obteve o mesmo número.

As atividades preferidas para manter o bem-estar, segundo dados do Visual GPS, são reunir-se com amigos e familiares, 78%, praticar esportes ou exercícios, 64% e comer de forma saudável, 58%. Já nos fatores que mais irritam os moradores da região estão falta de honestidade, 59%, falta de igualdade, 53% e falta de paz e de preocupação com o meio ambiente, ambos com 45%.

Realidade

Em outra categoria da pesquisa, realismo, os sul-americanos registraram 84% de participação em causas que promovem mudanças, enquanto 57% fizeram um post em prol de uma causa em redes sociais e 53% fizeram uma doação financeira para uma causa.

Dois em cada dez na região boicotaram uma marca que foi contra os seus valores, e 39% disseram que passaram a comprar produtos de uma marca que apoia uma causa em que acreditam.

Em outra descoberta dessa categoria, oito em cada dez sul-americanos querem saber o que se passa nos bastidores do processo de criação de um produto, um número maior do que as outras quatro regiões pesquisadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: