Saúde

Cistite intersticial: entenda a inflamação na bexiga de caráter crônico

Crédito: Pixabay

Dor, ardência e desconforto na hora de urinar são sintomas bem conhecidos de quem sofre com a cistite, inflamação na bexiga. O que nem todos sabem é que o problema nem sempre deriva da ação de bactérias no órgão. Segundo o professor doutor e urologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Fernando Almeida, é possível que a inflamação seja de caráter crônico, sem ter como causa algum agente infeccioso.

Neste caso, a doença ganha o nome de cistite intersticial. A diferença, além da ausência da bactéria, está no período de permanência dos desconfortos, como lembra o urologista. “Quando se trata de cistite intersticial, é comum que os sintomas persistam por mais de seis semanas. Essa característica nos ajuda no diagnóstico”, diz.

Aliado ao tempo de convívio com os sintomas, o diagnóstico passa também pela análise do quadro do paciente e pela exclusão de outras possibilidades como a cistite bacteriana e até mesmo o câncer. “Tanto a cistite bacteriana quanto a intersticial ocorrem mais em mulheres e têm sintomas semelhantes”.

E continua, “Isso, claro, colabora para que haja confusão entre as doenças. A cistite bacteriana inclusive pode ocorrer de forma recorrente, por isso, é comum que pacientes passem um período tratando e até mesmo acreditando que estejam com cistite bacteriana, quando na verdade é a intersticial que os acomete”, explica o médico.

Apesar de não ter cura e causas muito definidas, a cistite intersticial conta com diferentes tratamentos que possibilitam resultados muito satisfatórios e devolvem a qualidade de vida ao paciente. “Em muitos casos, conseguimos zerar os sintomas. Para isso, temos diferentes recursos, como o uso de remédios por via oral, introdução de medicamento na bexiga e até mesmo implante de marca-passo”, diz Almeida.

Outra particularidade da cistite intersticial é a sua ligação com o estresse. Quanto maior o nível de excitação emocional, maior a probabilidade do surgimento de sintomas. Nestes casos, como lembra o especialista, é indicado o uso de ansiolíticos, para redução de ansiedade e, de forma conjunta, da inflamação da bexiga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: