Projeto humanizado no BOPE visa constituir um ambiente de descompressão3 min read

Tempo de leitura: 2 Minutes

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, desenvolveu um projeto humanizado voltado para “diminuir” os índices de estresse em seus colaboradores. Visando criar um ambiente de descompressão, com espaços que utilizam o design biofílico como conceito, com maior inserção da natureza.

Desenvolvido pela paisagista Rayra Lira, da J Lira Green Life, em conjunto com as arquitetas Simone Arruda e Shayanne Secaf, com construção de Ramon Duarte, acompanhamento e aprovação do T.C Uirá, irão transformar os espaços do batalhão, como: sala de reunião, sala de psicologia, sala de fisioterapia e etc.

Rayra é paisagista e responsável pela J Lira Green Life e quem está fazendo a gestão de todos os projetos, ela explica que o projeto visa estabelecer uma harmonia com a natureza e ajudar na confortabilidade dos policiais que residem na sede, já que as plantas tem como objetivo acalmar e ajudar na imunidade do ser humano.

“Iniciamos o serviço com uma limpeza nos canteiros do batalhão, fizemos corte do gramado e alguns plantios com mais de 275 plantas ornamentais, tudo isso para proporcionar vida na sede, para amenizar a aparência hostil do local. Junto com as arquitetas desenvolvi também a sala de psicologia e fisioterapia, onde a ideia é criar um ambiente completamente de descompressão, para que tanto os policiais como as suas famílias que visitam o local possam relaxar num ambiente acolhedor. Na área de psicologia usamos diversos tipos de plantas como Pau d’água, Espada de São Jorge, Eucalipto e outras com texturas e cores bem verdes”, explica Rayra.

Um estudo realizado pela NASA com início nos anos 1980, comprova que algumas espécies de plantas podem purificar o ar, filtrando os poluentes causados por produtos químicos e compostos voláteis do ar, assim deixando o oxigênio mais limpo.

A pesquisa também afirma que as pessoas gastam geralmente 80% do seu tempo em casa ou no trabalho, portanto eliminar os componentes da poluição atmosférica deveria ser uma prioridade. O estudo mostra que certas plantas são eficazes na remoção do benzeno, amoníaco, formaldeído, tricloroetileno e xileno, proporcionando diversos benefícios para a saúde como, melhora da imunidade, redução de dores de cabeça e irritação nos olhos.

Baseado nesse e em outros estudos surgiu o processo de outra área, chamada Tapiri, que recebeu esse nome por ser uma construção biofílica, algo que remete à arquitetura indigena. O espaço fica localizado no meio da mata e conta com um grande campo verde.

“Nesse projeto a ideia é aproveitar o espaço e já usar a natureza que ali se encontra, vamos fazer a construção de um jardim usando as espécies desse mesmo lugar”, ressaltou Rayra. Esse ambiente será dedicado aos veteranos, policiais antigos e aposentados. “O local será um ponto de encontro, onde eles possam se reunir, relaxar e espairecer a cabeça de todo o estresse rotineiro”, finaliza Rayra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *