Consumo de carne afeta a saúde e prejudica o meio ambiente

A carne é um dos produtos de maior consumo dos brasileiros

O consumo de carne como salsichas, hambúrgueres, bacon e comidas rápidas como Fast-Food, além de incomodar a indústria de carne, gera impacto nas mudanças ambientais e interfere na saúde. Nesse cenário, o movimento “Segunda sem carne” vem ganhando cada vez mais pessoas no Brasil, incentivando diminuírem o seu consumo de proteína animal pela vegetal.
A Organização Mundial de Saúde (OMS), afirma que o consumo de carne processada é classificada como cancerígena. O relatório publicado em 2015, ainda conclui que a ingestão de carne vermelha diariamente está associada aos cânceres de próstata e pâncreas e ao aumento o risco em 18% de câncer colorretal.
A pecuária é uma grande consumidora de água e que está relacionada com as emissões de gases poluentes e que acelera o aquecimento global. A carne é um dos produtos com maior consumo no cotidiano dos brasileiros como em churrascarias e com a elevação do preço da carne ao longo da pandemia, reduzir o seu consumo e fazer substituição é mais acessível e simples para maioria das pessoas.

Foto/ reprodução: Imagens Google

No entanto, é importante saber como fazer as substituições corretas para evitar a deficiência dos nutrientes. A nutricionista Cibele Gonzaga para a página do G1, explica que há uma enorme variedade de opções na alimentação vegetariana e que ela pode ser muito saudável. “Alimentos integrais são riquíssimos em fibras. A saúde da pessoa melhora com a inclusão desses alimentos. Os nutrientes que devem receber mais atenção quando paramos de comer carne [vermelha e branca] são: ômega 3, vitamina B12, ferro e proteínas. Para pessoas veganas, o único nutriente que uma dieta vegana não pode suprir é a vitamina B12, que pode ser suprida por suplementos. Também é importante ficar atento com o cálcio”, observou.

A produção de carne bovina contribui para o agravamento do aquecimento global?

O desmatamento e a realização de queimadas são feitas periodicamente para a renovar a vegetação de pastagens, causando a degradação e diminuindo a frequência de chuvas. A produção de ração para manter o mercado pecuário e o transporte da carne de forma precária contribui a qualidade da mesma para o nosso consumo. O transporte refrigerado com uma ótima qualidade é um dos pontos mais importantes para o consumo assim como o seu preparo.

Foto/ divulgação: G1 Pastagem de gado causa contribuí para o aquecimento global


Segundo a estudante de radiologia Adrielle Pereira de 21 anos, afirma que aderiu à segunda sem carne pelo aumento dos preços inicialmente e como buscava uma alimentação saudável a mesma decidiu fazer um acompanhamento com a nutricionista durante dois meses.
A estudante ainda conclui, que diante de tantos recursos para a pecuária, o governo deveria investir em recursos para uma produção sustentável nos campos e métodos para suprir a fome no planeta.

Será que eu poderia diminuir o meu consumo de carne?

O consumo de carne está atrelado com a renda familiar, a saúde, o consumo e o meio ambiente. A mudança de hábitos que se reflete em menos doenças, também significa menos gastos com saúde, reduzir a quantidade de custo com a carne contribui para as emissões de gases que causam aquecimento global.

Foto/ Reprodução: Imagens Google

A nutricionista Karin Honorato para a página do G1, afirma que os minerais encontrados nas carnes podem ser encontrado nas castanhas e leguminosas, sendo uma excelente fonte de zinco para o organismo. Karin, conclui que carne tem benefícios para a saúde, porém há alimentos capazes de substituir os nutrientes presentes na carne.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *