‘Histórias Afro-Brasileiras’: projeto percorre escolas, Terreiro do Gantois e o Teatro Sesi

Tempo de leitura: 1 Minute

Nova edição do projeto da Companhia Teatro Griô tem entrada gratuita e é inspirada nas narrativas de tradição oral, unindo arte e educação

Acontecem até o dia 15 de junho, em Salvador, as ações do projeto “Histórias Afro-Brasileiras”, coordenadas pela Companhia Teatro Griô. A programação com acesso gratuito, iniciada no dia 3 de junho, reúne atividades de artes integradas como teatro, literatura oral, arte e educação na Escola Municipal Oswaldo Cruz (Rio Vermelho), Escola Municipal Anita Barbuda (Nordeste de Amaralina), no Teatro Sesi (Rio Vermelho) e em dois sábados, dias 8 e 15 de junho, no Terreiro do Gantois, (Federação).

Essa é a terceira edição do projeto inspirado nas histórias da cultura afro-brasileira. A dupla de contadores de histórias, atores, diretores, autores e professores de teatro, Rafael Morais e Tânia Soares, criaram o projeto em 2018. Tânia e Rafael são fundadores e coordenadores da companhia Teatro Griô. Desde a primeira edição, “Histórias Afro-Brasileiras” conta com a parceria da escritora, pesquisadora, educadora e contadora de histórias Vanda Machado e da contadora de histórias, educadora, escritora e pesquisadora Vovó Cici.

O programa inclui oficinas e rodas de conversa com a pesquisadora Vanda Machado, apresentações do espetáculo “Yalodê – histórias afro-brasileiras”, além da oficina da arte de contar histórias com a Companhia Teatro Griô e sessões de histórias e rodas de conversa com Vovó Cici. Para participar das oficinas e sessões de histórias que vão acontecer no Terreiro do Gantois é necessário realizar inscrição prévia.

Os formulários de inscrição e a programação completa estão disponíveis no link da bio do Instagram @teatrogrio

O projeto “Histórias Afro-Brasileiras” tem apoio cultural do Teatro Sesi Rio Vermelho e é uma realização da Companhia Teatro Griô, da Territórios Criativos, Fundação Gregório de Mattos, Secretaria de Cultura e Turismo, através da Lei Paulo Gustavo. A ação também conta com o apoio do Ministério da Cultura, do Governo Federal.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.